Uma viagem diferente

Oi, gente! O post de hoje é sobre viagem. Eu sei, o momento não está propício para ficar saindo de casa, muito menos para arrumar as malas e fazer turismo. Tenho consciência de tudo isso, mas antes de julgar (se esse for o seu caso), saiba que esses quatro dias em que estive fora da segurança do meu lar, foram muito bem estudados.

A intenção deste post não é defender viagens na pandemia ou fornecer um guia completo do meu destino de férias (até porque os passeios turísticos ficaram de fora do roteiro), mas sim relatar como marido, filhote e eu conseguimos conciliar o lazer que uma viagem proporciona com os cuidados com a saúde, a nossa e a das outras pessoas. Então bora falar dessa experiência!

O destino

Nosso destino foi Búzios, uma cidade linda na região dos lagos, situada no estado do Rio de Janeiro. Não foi a primeira vez que visitamos o município. Meu marido e eu já estivemos lá diversas vezes juntos e antes mesmo de nos conhecer. Já sabíamos o que esperar da nossa estadia e esse foi o principal motivo que nos levou a escolher um destino certeiro nesse momento tão incerto de pandemia.

Outra razão para optar por Búzios, ao invés de um destino fora do estado, foi o medo de encarar aeroportos e aviões, onde não há livre circulação de ar. Ou seja, pegar estrada no nosso próprio carro foi o único meio seguro que encontramos.

A praia

Como temos um bom conhecimento da região, sabemos que a Praia Rasa é a menos frequentada por ficar fora do roteiro turístico; então, ainda no Rio, quando constatamos que não teríamos saúde mental para passar janeiro inteiro confinados dentro do nosso apartamento, decidimos que nos hospedaríamos lá.

A Rasa é super tranquila e costuma ser frequentada apenas por moradores das casas que ladeiam a orla. Nem há calçadão. As residências terminam onde começa a faixa de areia, ou seja, tínhamos uma praia quase particular, sem banhistas em um raio de trinta metros. Perfeito para o nosso tão esperado encontro com o mar depois de um ano sem ouvir o som das gaivotas.

Pela foto dá para ver que a pessoa mais próxima a nós está a muitos metros de distância. Isso nos deixou mais seguros para encarar a temida missão de tirar a máscara e entrar no mar.

Não sei vocês, mas estou ficando quase neurótica com essa história de máscara e álcool em gel. Estar sem máscara na praia foi uma sensação um tanto desconfortável, mas o marido me acalmava dizendo que estávamos ao ar livre e mais do que mantendo o distanciamento social, aí eu ficava mais tranquila.

Além disso, como a casa era perto da praia, dava para ir bem cedinho e evitar os horários de pico. Enfim, tudo para escapar das temidas aglomerações. Deu certo.

A casa

Outro ponto importante foi a escolha da acomodação. Decidimos alugar uma casa, pois assim não teríamos contato com outros hóspedes, algo muito comum quando se fica em hotéis ou pousadas. A casa foi um refúgio do mundo lá fora, o lugar onde pudemos relaxar e nos divertir com tranquilidade.

Alugamos no Airbnb. O espaço não era grande, mas tinha todo o conforto e a infraestrutura de que precisávamos, desde utensílios de cozinha até uma piscininha (amor 😀 ), caso houvesse muita gente na praia, o que felizmente não aconteceu.

O que mais gostei na casa foi a localização (bem afastada do fervo de Búzios) e da área de lazer. Além da piscina, dava para fazer churrasco, ler na rede, brincar no quintal e todas aquelas comodidades que só uma casa pode oferecer. De certa forma, foi como tirar férias não só da cidade do Rio, mas do nosso apartamento também.

Além das comodidades que já mencionei, a casa contava com dois quartos, dois banheiros, sala de estar e uma cozinha toda equipada onde pudemos cozinhar grande parte das nossas refeições. Foi como estar em casa.

E aí, qual foi a minha avaliação?

A viagem valeu a pena. Deu para espairecer e mudar os ares após um ano conturbado. Só um parêntese: apesar da boa experiência, não estou recomendando que façam o mesmo. A única razão de termos viajado foi porque conhecíamos uma praia quase deserta e estudamos todos os detalhes com cuidado para evitar contaminação. A partir do momento em que você põe os pés fora de casa, o risco é inevitável. No entanto, existem formas de estar tão seguro quanto possível, por isso se está pensando em pegar a estrada, leve a sério os protocolos de segurança para proteger a sua saúde e a dos moradores da cidade. Lembre-se que você está só de passagem, então tenha consciência.

Se eu fosse descrever a nossa viagem em apenas uma palavra, seria diferente. Não visitamos pontos turísticos, nem tampouco fizemos passeios de barco. Entretanto, relaxamos e recarregamos as energias para outro ano de mais protocolos e poucos abraços, mas com a esperança que jorra da ponta de uma agulha. Sim, o ano passado foi triste, confuso e com consequências irreversíveis (principalmente para as famílias dos que se foram 😦 ), mas vamos com fé e otimismo pois, por mais clichê que essa próxima frase possa soar, dias melhores virão. As únicas alternativas cabíveis são fazer a nossa parte e acreditar.

Um super beijo!

2 comentários em “Uma viagem diferente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: